31 de jan de 2010

Lição 05 ~> Tesouros em Vasos de Barro *~Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Jovens e Adultos~*

Tesouros em Vasos de Barro
Leitura Bíblica em Classe: 2 Coríntios 4.7-12
Palavras-chave: vaso, fragilidade

Introdução
I. Paulo Apresenta o Conteúdo dos Vasos de Barro (4.1-6)
II. Paulo Expõe a Fragilidade dos Vasos de Barro (4.7-12)
III. Paulo Fala da Glorificação Final Desses Vasos de Barro (4.13-18)

I. Paulo Apresenta o Conteúdo dos Vasos de Barro (4.1-6)
“A preciosa mensagem da salvação em Jesus Cristo, que tem um valor supremo, foi confiada por Deus a seres humanos frágeis e falíveis. O enfoque de Paulo, porém, não estava no recipiente perecível, mas em seu conteúdo de valor inestimável — no poder de Deus que habita em nós. Mesmo sendo fracos, Deus nos usa para transmitir suas Boas Novas e nos dá poder para fazer a sua obra. Saber que o poder é de Deus, e não nosso, deve nos afastar do orgulho e nos motivar a manter nosso contato diário com Ele, nossa fonte de poder. Nossa responsabilidade é deixar que as pessoas vejam Deus por nosso intermédio” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1615).

II. Paulo Expõe a Fragilidade dos Vasos de Barro (4.7-12)
• “Paulo nos lembra que, embora, às vezes, possa parecer que estamos sendo quase vencidos, nunca devemos perder as esperança. Nosso corpo está sujeito a pecar e sofrer, mas Deus nunca nos abandona. Por Cristo ter vencido a morte, temos a vida eterna. Todos os nossos riscos, humilhações e provas são oportunidades de Cristo demonstrar seu poder e sua presença em nós e por nós” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1615).

• Professor, explique aos seus alunos que “nossos problemas não devem diminuir a nossa fé ou nos desanimar. Antes, devemos perceber que existe um propósito em nossos sofrimentos. Os problemas e as limitações humanas trazem muitos benefícios:
1. Ajudam-nos a lembrar o sofrimento de Cristo por nós;
2. Ajuda a não termos orgulho;
3. Ajudam-nos a ver além dessa vida tão curta;
4. Provam a nossa fé;
5. Dão a Deus a oportunidade de demonstrar seu grande poder. Não se ressinta por seus problemas. ‘Veja-os como oportunidades de adquirir experiências com o Senhor’” (Bíblia do Estudante Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1325).

• “Os vasos de barros eram os objetos menos valorizados pela dona de casa. Quebravam-se com facilidade e eram baratos, de fácil reposição. Por outro lado, os vasos de metal ou de vidro eram caros e muito provavelmente, colocados em exposição. Paulo se via como um vaso de barro. O importante é o ministério e a mensagem que transmitia ao mundo. O apóstolo não queria estar em evidência, como se ele ou qualquer outro servo de Deus é que fossem importantes. Assim também hoje, o Espírito Santo que habita em nós e o evangelho que partilhamos merecem prioridade” (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. 1ed. Rio de Janeiro, CPAD, 777).

• [...] “Paulo queria que os coríntios soubessem que pouco importava o que acontecesse, o tesouro no vaso de barro do seu corpo o impedia de ser quebrado pelas circunstâncias ou pelos inimigos.

De quatro maneiras Paulo enfatiza que o poder de Deus vencia sua fraqueza no ministério: 1) Os problemas pressionavam severamente de todos os lados (ou de todas as formas), mas por causa do poder incomparável de Deus, eles não podiam angustiá-lo — o que também pode significar que eles não podiam nem mesmo restringi-lo de disseminar o Evangelho;

2) Ele às vezes via-se perplexo diante das muitas adversidades, e nem sempre entendia o que lhe sobrevinha e os motivos de tais coisas estarem acontecendo, mas nunca tinha o tipo de desespero que duvidava de Deus;

3) Ele era perseguido (no grego, inclui as ideias de ser expulso e perseguido de lugar em lugar; cf. At 14.5,6; 17.13), mas não ficava desamparado. O Senhor não o abandonou, nem seus companheiros o deixaram em apuros;

4) Ele era abatido pelos inimigos, mas não destruído ou arruinado” (HORTON, Stanley M. I & II Coríntios. 1 ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2003, p. 203).

Lição 05 ~> Tsunâmis e Cia *~Conteúdo adicional para as aulas de Juvenis~*

Tsunâmis e Cia
Texto Bíblico: Mateus 24.3-8

A cada catástrofe o mundo recebe um novo abalo no seu sistema econômico. Além dos desdobramentos sociais, com furto assalto e estupro de vítimas, abandono do dever, roubo de produtos destinados às vitimas, obtenção de lucros. O progresso leva o mundo para um afunilamento sem fim. O crescimento e avanços do homem transformam tudo em uma bola de neve, que o arrebata para um inferno, varrido todos os dias por catástrofes.
A destruição total do mundo, na época de Noé, pelo Dilúvio, ocorreu a partir da multiplicação da maldade entre os homens, com ela, a Terra se encheu de violência (Gn 6.5,13).
O mundo está se fundindo em blocos, porque não tem alternativa. Os críticos da globalização devem saber que tudo isso é irreversível. A Europa se une como forma de resolver seus problemas. As demais regiões do planeta seguem os mesmos passos. Não há retorno e tampouco outro caminho do ponto de vista humano. Depois o homem dará o salto final para unir os blocos em um só e entregar o poder a um governo único mundial – o Anticristo, justamente como descreve a Palavra da Verdade.
Assim como a terra reagiu quando Jesus morreu, também ocorrerão sinais “em baixo na terra” (At 2.19) antes da segunda vinda de Jesus (Rm 8.22-25). Vejamos alguns deles:

Terremotos (Lc 21.12). Esse sinal continua a manifestar-se em várias partes do mundo (Haiti, Janeiro de 2010).

Fome (Lc 21.11; Ap 6.8). Secas, catástrofes e outras causas, têm motivado fome em várias partes do mundo. Carestias e escassez de víveres fazem parte da fotografia profética dos últimos tempos (Ap 6.5,6).

Pestilências (Lc 21.11). Inúmeras doenças surgem a cada dia, ceifado milhares de vidas (Gripe suína, aviária).

Lição 05 ~> Desvie-se do Mal *~Conteúdo adicional para as aulas de Adolescentes~*

Desvie-se do Mal
Texto bíblico:Provérbios 4.23-27; 6.12-15

Professor, explique aos alunos que o caminho dos homens maus parece agradável e o mais próximo para conseguir alguma finalidade; porém, é um caminho mau e terminará mal; se amas o teu Deus e a tua alma, evita-o. Não foi dito: mantenha distância devida, mas; mantenha uma grande distância; nunca penses que podes chegar suficientemente longe disto. O caminho do justo é luz. Cristo é o seu caminho e Ele é a luz. Os santos não serão perfeitos até que cheguem ao céu, mas ali brilharão como o sol em sua força.
O caminho do pecado é trevas, e o caminho do ímpio é tenebroso; portanto, perigoso; eles caem em pecado, mas não sabem como evitá-lo. Envolvem-se em problemas, mas nunca procuram saber se Deus contende com eles, nem qual será o fim dele. Este é caminho que insistentemente somos admoestados a evitar. Ouvir atentamente a Palavra de Deus é um bom sinal da obra da graça começada no coração, e um bom meio de realizarmos sempre. Na Palavra de Deus há um remédio apropriado para todas as enfermidades da alma. Guarda o teu coração com toda a diligência. Devemos colocar em nossas almas uma estrita vigilância, e impedir que nossos corações infiram dor e sejam feridos. É dada uma boa razão: porque daí surgem os assuntos da vida.
Sobretudo, devemos buscar o Senhor Jesus, a Água Viva, o Espírito santificador, que brota para a vida eterna. Assim, seremos capacitados a eliminar uma boca perversa e lábios pervertidos; nossos olhos serão impedidos de contemplar a vaidade quando olhamos adiante e corretamente, andamos pela regra da Palavra de Deus, e vamos após os passos de nosso Senhor e Mestre. Que esta seja a nossa oração: “Senhor, perdoa o passado e capacite-nos a seguir-te de maneira mais próxima no tempo vindouro”.

Lição 05 ~> Qualidade Versus Defeitos *~

Qualidade Versus Defeitos
Texto Bíblico: Êxodo 2.4-10

A psicologia auxilia a educação ao explicar as diferenças de temperamento entre as pessoas. Segundo o Dicionário Aurélio Eletrônico, o temperamento é o “conjunto dos traços psicofisiológicos de uma pessoa, e que lhe determinam as reações emocionais, os estado de humor e caráter”. Em síntese, o temperamento é inato em nossa constituição.
De acordo com a psicologia são quatro tipos de temperamentos: Sanguíneo, colérico, melancólico e fleumático. Ninguém é totalmente fleumático ou sanguíneo. Na verdade existe uma mistura de temperamentos mas com o predomínio de um deles. Para executar uma pequena “pesquisa” sem a rigorosidade acadêmica requerida para um teste sério de temperamento, proponha uma atividade simples e de curto tempo para os alunos. Distribua uma folha para cada um contendo trinta e duas características dos temperamentos – e peça para que os alunos escolham, entre essas, dez que descrevam a forma particular do ser deles.

Reproduza conforme o modelo:
Dê sete minutos para que façam as marcações. Cada aluno só poderá marcar dez características. Depois apresente uma cartolina que servirá como gabarito para conferência do temperamento de cada um. Na cartolina, coloque o gabarito da seguinte forma:


Se a pessoa escolhe cinco aspectos da personalidade de um único grupo, é provável que este seja o seu temperamento. Finalize orando por eles e diga que foram criados diferentes para a glória de Deus.

Lição 05 ~> Jesus ensina sobre felicidade *~Conteúdo adicional para as aulas de Juniores~*

Jesus ensina sobre felicidade
Texto Bíblico: Mateus 5.1-12

Em seu mais longo sermão registrado, Jesus começou descrevendo as características que procurava em seus seguidores. Ele chamou de felizes aqueles que possuem essas características , porque Deus tem algo especial reservado para eles. O melhor exemplo de cada característica é encontrado no próprio Jesus. Se a nossa meta é nos tornarmos como Ele, as bem-aventuranças desafiarão o modo como vivemos cada dia.

Boa idéia
Professor reproduza o quadro abaixo em uma folha de papel quarenta quilo e apresente-o às crianças. Leia juntamente com elas as referências bíblicas e explique como elas podem desenvolver essas características.
Explique que essas características devem estar presentes na vida de todos os servos de Deus.

Lição 05 ~> O Salvador chegou! *~Conteúdo adicional para as aulas de Primários~*

O Salvador chegou!
Texto Bíblico: Lucas 2.1-20

Um alistamento (um registro ou censo) romano seria realizado para ajudar o alistamento militar ou a arrecadação de impostos. Os judeus não precisavam servir no exército romano, mas não podiam deixar de pagar impostos. O decreto de Augusto saiu na hora certa e de acordo com o plano perfeito de Deus para trazer seu Filho ao mundo. Não era possível deixar de participar do censo. Consequentemente, todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. José foi a Belém, uma viagem de aproximadamente 110 a 130 quilômetros. Belém, uma viagem foi onde cresceu o rei Davi (1 Sm 16;17.12;20.6).
Deus controla toda a história. Graças ao decreto do imperador Augusto, Jesus nasceu na mesma cidade profetizada para o seu nascimento (Mq 5.2), embora seus pais não vivessem ali. José e Maria foram a Belém porque José era da casa e família de Davi. Os profetas do Antigo Testamento profetizaram que o Messias nasceria na linhagem de Davi (Is 11.1; Jr 33.15; Ez 37.24; Os 3.5). Em algum momento durante a visita a Belém, a criança prometida nasceu. Cumprindo assim a profecia.
Texto adaptado do: Comentário do Novo Testamento, Aplicação Pessoal.

Boa ideia!
Você vai precisar de lençóis, roupões e um boneco.
Divida a classe em grupos e depois peça para cada grupo encenar o censo, a viagem e o nascimento do Salvador.

Lição 05 ~> Cuidado, o Menino Jesus corre perigo *~Conteúdo adicional para as aulas de Jardim da Infância~*

Cuidado, o Menino Jesus corre perigo
Texto Bíblico: Mateus 2.13-23

I - De professor para professor
· Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é que a criança compreenda que Deus nos protege do perigo.
· A palavra-chave deste domingo é “Perigo”. No decorrer da aula diga: “Deus nos protege do perigo”.

II – Saiba Mais
Confiança em Deus – a resposta aos nossos temores e ansiedades – não é algo estático. Ao contrário, ela cresce. Não fique desencorajado se a sua confiança em Deus parece derreter e minguar. Isso é simplesmente humano.
A maravilhosa esperança que temos, certamente, é que quanto mais confiamos em Deus, mais descobrimos o quanto Ele é fiel. Assim, quanto mais nos dispomos a confiar, mais provas de confiança Deus nos dá.
É esse sentimento de completa segurança – um permanente senso de sua presença conosco – que Deus anela para cada um de nós. Isso vem quando confiamos nEle e aceitamos o que Ele ambiciona dar-nos.
Texto extraído do livro: Em Contato com Deus, CPAD.
 
III – Conversando com o Professor
Algumas das características desta faixa é o crescimento rápido, a habilidade com certos jogos, a curiosidade, o período curto de atenção, a imaginação rica, a imitação, o medo e a excitação. Se uma decisão precisa ser tomada, ela decide rapidamente, não impondo a si mesma muitas alternativas. Continua com as histórias e exageros de sua imaginação, mas começa a distinguir o real do imaginário, ciente de que está inventando histórias.
Texto extraído do livro: Amor e Disciplina para Criar Filhos Felizes, CPAD.

IV – Sugestão
Você vai precisar de cabos de vassoura, papel pardo, grampeador e lã.
Desenhe cabeças de burrinhos no papel pardo (dois lados), cole a lã para imitar o pelo do animal. Para fixar a cabeça no corpo (cabo de vassoura) utilize o grampeador.
Peça às crianças para imaginarem como foi a viagem de José e Maria.

Lição 05 ~> Duas Semanas de Festa! *~Conteúdo adicional para as aulas de Maternal~*

Duas Semanas de Festa!
Texto Bíblico: 2 Crônicas 29.3-10,20,21,25-30



I - De professor para professor
· Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é que a criança adore o Senhor com alegria.
· A palavra-chave deste domingo é “Adoração”. No decorrer da aula diga: “Eu adoro o Papai do céu”

II Saiba Mais
O louvor traz a presença de Deus de maneira diferente. Aos que estão alegres, suplanta o gozo e a alegria, a ponto de quase não suportarem. Aos que estão deprimidos e tristes, derrama seu bálsamo confortante e alentador. O salmista afirma que Deus habita nos louvores (Sl 22.3). Notemos que habitar é diferente de hospedar. Hospedagem significa se estabelecer por tempo determinado, enquanto habitar envolve permanência com propósitos específicos e perenes, com estabelecimento de compromissos. Ao louvarmos, Deus toma o louvor por habitação e se compromete conosco em demandar suas mais variadas bênçãos!
Texto adaptado do livro: Manual do Líder de Louvor, CPAD.

III - Conversando com o professor
As crianças precisam saber que há muitas formas de adoração, mas que todas convergem para um único objetivo: entregar-se totalmente a Deus em retribuição a quem Ele é. Na adoração louvamos a Deus com toda sinceridade de coração, com toda a nossa vida: “Deus é Espírito, e importa que os que adoram o adorem em espírito e verdade” (Jo 4.24). Nossas escolhas em obediência à vontade de Deus dEle também são atos de adoração: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1). Podemos adorar a Deus em grupo ou sozinhos – a qualquer hora, em qualquer lugar. Entretanto, reunir-se a outros para adorar encoraja-nos a dar mais de nós mesmos a Deus, e também é uma afirmação visível para o resto do mundo de que Deus mercê verdadeiramente ser adorado.
Texto extraído do livro: Ensine sobre Deus às Crianças, editado pela CPAD.



IV – Sugestão
Você vai precisar de um aparelho de som e cd’s com os louvores que as crianças gostem. Após explicar o que é adoração, reserve um tempo da aula para um período especial de adoração com as canções que você escolheu. Elas podem utilizar os instrumentos que elas confeccionaram (seção da revista Oficina de Ideias).

20 de jan de 2010

εїз *Lição 04 - A Glória das Duas Alianças - Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Jovens e Adultos* εїз

Lição 04 - A Glória das Duas Alianças

Leitura Bíblica em Classe: 2 Coríntios 3.1-11


Introdução
I. Paulo Justifica Sua Autorrecomendação
II. A Confiança da Nova Aliança (3.4-11)
III. A Glória da Nova Aliança (3.7-18)

Palavras-chave: aliança e glória



I. Paulo justifica sua autorrecomendação
Professor, introduza o tópico fazendo a seguinte indagação: “Paulo precisava de carta de recomendação?” “Mestres itinerantes da igreja primitiva tinham por característica levar cartas de apresentação (cf. At 18.27). Os inimigos de Paulo aparentemente atacavam sua credibilidade ao indagarem: Onde estão as suas cartas? Todo verdadeiro crente é uma carta aberta de Cristo, pois sua vida refletirá a obra de Deus em sua personalidade. Desde que Paulo conduziu muitos coríntios a Cristo, estes são cartas que testificam seu ministério, competência e chamado”.
(RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 776).

II. A Confiança da Nova Aliança (3.4-11)
Professor, converse com seus alunos explicando a superioridade do Novo Concerto revelado em Cristo Jesus e as provisões da Nova Aliança. Conscientize os alunos de que a Lei nunca foi um caminho para a salvação, pois Deus já havia predito um novo Concerto com Israel. Somente o Novo Concerto é capaz de oferecer perdão e um novo coração.

III. A Glória da Nova Aliança (3.7-18)
Professor, é importante que seus alunos compreendam o significado do termo “glória”. Observe, com atenção, o que o dicionário Zondervan Expository Dictionary of Bible Words diz a respeito do mesmo: “No Antigo Testamento, a glória de Deus está intimamente ligada à auto-revelação do Senhor. Há muitas imagens: esplendor fulgurante, e santidade flamejante marcam sua presença (por exemplo, Êxodo 16.10; 40.34,35; 2 Crônicas 7.1,2). Mas, nenhum poder elementar ou santidade flamejante expressam a Deus de maneira absolutamente adequada. Dessa forma, o Êxodo relaciona a glória de Deus com revelação de seu caráter amoroso. Quando Moisés implorou para que Deus lhe mostrasse sua glória, a Bíblia relata: ‘Ele disse: Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti e apregoarei o nome do Senhor diante de ti; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem me compadecer. E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá (Êx 33.19,20). Com o mesmo sentido de revelação, Deus diz: ‘Serei glorificado’, no caso da recusa do Faraó em deixar que Israel saísse do Egito (Êx 14.4). O grande poder redentor de Deus foi exibido no Êxodo (Nm 14.22), da mesma forma como seu poder criativo é exibido quando ‘os céus manifestam’ sua glória (Sl 19.1). Mas ‘glória’ implica em mais do que revelação de como Deus é. Implica em invasão do universo material, expressão da presença ativa de Deus entre seu povo. Assim, o Antigo Testamento conscientemente relaciona o termo ‘glória’ à presença de Deus em Israel, em tabernáculos e templos (por exemplo, Êxodo 29.43; Ezequiel 43.4,5; Ageu 2.3). A glória objetiva de Deus é revelada por sua vinda, para estar presente conosco — seu povo — e para se mostrar a cada um de nós por suas ações neste mundo”
(RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, pp. 310-11).



Professor, providencie cópias do quadro abaixo para seus alunos. Você poderá utilizá-lo ao explicar o segundo subtópico do tópico II.



Conclua o tópico III, explicando que o Segundo Pacto é superior ao Primeiro, porque veio mediante a pessoa de Jesus Cristo, que consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato sacrificial. Depois peça que todos leiam a Verdade Prática.




Conclusão
Conclua a lição lendo, juntamente com seus alunos, a Verdade Prática da lição.


εїз *Lição 04 - Preserve o Verde, Ame o Próximo - Conteúdo adicional para as aulas de Juvenis.* εїз

Lição 04 - Preserve o Verde, Ame o Próximo
Texto Bíblico: Gênesis 1.1-26; 2.15


Na carta ao Romanos o apóstolo Paulo escreveu: ”Porque toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora” (Rm 8.22). Se esta escritura tivesse feito parte do discurso de algum ecológico moderno, não estranharíamos, mas ela foi escrita no primeiro século da era cristã. Naquele tempo, o autor não tinha a menor ideia de que esta escritura poderia significar tanto em nossos tempos de terceiro milênio. A inspiração do Espírito Santo ao apóstolo Paulo vislumbrava o presente e o futuro no sentido espiritual. Porém, quando ele fala do gemido da criação, incluía tanto a natureza animada como a inanimada. Aponta para o fator causador desse gemido no versículo 20 do mesmo capítulo, quando diz que “a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou”. Vaidade de que e de quem? A expressão refere-se, de fato, “à vaidade daquele que a sujeitou”. Quem sujeitou a criação ao desequilíbrio ecológico, se não o inimigo principal do Criador, o Diabo, com sua vaidade e egoísmo? Ora, sabemos que a criação inanimada não tem vontade própria, senão pela vontade de Deus. Deus condenou Satanás por ter sido o agente que induziu Adão e Eva a desobedecerem a Deus. Por esse modo entende-se que a criação tornou-se cúmplice dos pecados e da desgraça que operam no mundo. A criação tornou-se sujeita “ao sofrimento e às catástrofes físicas” (Bíblia de Estudo Pentecostal). O texto diz que a “criação ficou sujeita à vaidade” e isso significa que toda a criação, animada e a inanimada, foi submetida a “um estado de futilidade deplorável”, como escreveu Matthew Henry. Com consciência aguçada acerca do “gemido da terra”, a Igreja de Cristo tem um papel restaurador e mantenedor dos poderes vitais que dão sustentação à vida na terra. Quando Deus criou o homem, o criou com poder de governar e administrar a vida na terra de forma a manter e preservar os seus valores vitais (Gn 1.28).


εїз *Lição 04 - Pratique a bondade - Conteúdo adicional para as aulas de Adolescentes* εїз



Lição 04 - Pratique a bondade
Texto bíblico:Provérbios 3.27-29;11.17,23-26


Benignidade e bondade são palavras que trazem em si um significado parecido, mas em linhas gerais, podem ser distinguidas da seguinte forma: Benignidade é o sentimento que os destaca, ao passo que a bondade é a atitude que nos destaca. Bondade é a pratica de um coração benigno. Não há possibilidade de uma pessoa ter um coração benigno sem praticar essa benignidade. Estar em Cristo exige que sejamos pessoas boas e tenhamos intenções boas e pratiquemos boas obras. Não praticamos boas obras para sermos salvos, e sim por já sermos salvos. Por nossas boas ações, somos identificados como filhos de Deus, e o Pai é glorificado. É evidente que nossas boas obras – bem como nossa devoção – devem ser feitas de forma a não chamar a atenção, para que não sejam feitas como para agradar aos homens, mas a Deus (Mt 6.1-18). A discrição na realização das boas obras agrada a Deus (Mt 6.18), motivo pelo qual podemos esperar dEle a retribuição.
Texto extraído da Revista: Ensinador Cristão, CPAD. nº 21,p.39
 
Boa ideia!
Professor organize com a classe “O Dia da Bondade” cada aluno deve trazer um quilo de alimento, uma peça de roupa (em perfeito estado) e um brinquedo.
Depois eles devem montar cestas básicas para distribuir para os irmãos carentes.
Se for possível envolva a equipe da assistência social da igreja neste projeto, “O Dia da Bondade” pode ser estendido para a comunidades carentes.



εїз *Lição 04 - Sob Controle - Conteúdo adicional para as aulas de Pré-Adolescentes* εїз

Lição 04 - Sob Controle

Texto Bíblico: Mateus 14.26-32



Professor, os adolescentes possuem emoções intensas e oscilantes sendo difícil o autocontrole. São várias mudanças ocorrendo em seus sentimentos, não compreendem e nem sabem o que fazer com elas. Leia para eles a história que ocorreu na cidade de Chicago: Na noite de 8 de outubro de 1871, a Senhora O’ Leary acendeu um pequeno lampião, tomou-o e foi ao celeiro ordenhar a vaca. A vaca escoiceou o lampião, e, num instante, as chamas do pavio aceso se espalharam pelo celeiro propelidas pelos fortes ventos. O fogo se alastrou progressivamente por mais de 24 horas, devastando o distrito empresarial central da grande cidade de Chicago e destruindo 17.450 edifícios numa área de 5,6 quilômetros quadrados. Pelo menos 300 pessoas morreram, 90.000 ficaram desabrigadas e propriedades no valor aproximado de 600 milhões de reais foram arrasadas. Tudo porque uma vaca deu um coice num lampião contendo uma pequenina chama. Explique que o fogo é muito necessário e tem variado uso em casas e fábricas quando mantido sob controle. Mas quando fora de controle torna-se um inimigo terrível que destrói tudo o que encontrar. O devido e seguro controle é essencial no uso do fogo como tremenda fonte de energia que é. Essa história pode ser adaptada ao homem que foi criado cheio de energia mental, física, emocional e espiritual, a qual deve ser corretamente usada e controlada para ser benéfica. Não admira, então, que esta energia tenha de ser posta sob o controle do Espírito Santo. Temperança é o fruto do Espírito e trata-se da nossa autodisciplina; nosso autocontrole, que na realidade não é bem nosso, mas resultante da operação do Espírito Santo em nós. A pessoa que permite que o Espírito Santo a conforme segundo a imagem de Jesus desenvolverá a temperança em todas as áreas da vida (2 Co 3.18; Rm 8.29). Comente com os alunos que devemos ter o nosso temperamento controlado pelo Espírito Santo, que é necessário pensar antes de falar e agir. Ore com eles pedindo a Deus que os ajude a ter temperança.


εїз *Lição 04 - Jesus ensina sobre a amizade - Conteúdo adicional para as aulas de Juniores* εїз

Lição 04 - Jesus ensina sobre a amizade
Texto Bíblico: Mateus 4.12-25

 
Professor explique aos alunos que a comunhão com outros crentes pode fazer a diferença entre atravessar uma situação difícil e deixar que o mundo o vença. Partilhar as suas alegrias, tristezas, esperanças e frustrações com alguém, podem fortalecê-lo como indivíduo e ajudá-lo a definir as providências a tomar. A comunhão ajuda-o a transmitir o amor de Cristo a outros. À medida que você aprende a confiar em outras pessoas, estas aprenderão a confiar em você.
Lembre aos pequeninos de que Paulo precisou de um amigo como Barnabé ou Silas para dividir o peso do seu ministério e para viajar com ele.
Davi foi salvo das mãos de Saul, por ser amigo de Jônatas.
Oriente os pequenos a construir amizades cristãs e a pedirem a Deus que traga amigos para a vida deles.
Texto adaptado do livro: Graça Diária, CPAD

Boa ideia!
Cartão da amizade
Material necessário: cartolinas de cores variadas, canetas hidrográficas, tesouras, cola, papel picado, purpurina, fitas coloridas, lápis de cor, régua, etc.
Disponha o material sobre a mesa e oriente as crianças a fazerem cartões para seus amigos, deixe a criatividade por conta deles, quando for necessário ou solicitado ajude-os.



εїз *Lição 04 - Eu, a mãe do Salvador? - Conteúdo Adicional para as aulas de Primários* εїз

Lição 04 - Eu, a mãe do Salvador?
Texto Bíblico: Lucas 1.26-38; Mateus 1.18-24

 
Maria era uma jovem, e estava noiva de José. Um dia, o anjo Gabriel lhe apareceu, e disse-lhe que Deus tinha uma missão especial para ela. O Espírito Santo logo faria com que ela ficasse grávida, e ela daria à luz o Filho de Deus, Jesus. Claro, isto era uma notícia incrível e um tanto assustadora; as pessoas achariam que ela pecara, ficando grávida antes de casar. Gabriel assegurou-lhe que Deus estaria com ela. Maria confessou que estava disposta a servir a Deus, e então respondeu com uma linda canção de louvor e gratidão a Deus.
 
O que podemos aprender com a jovem Maria:
Maria deixou para nós dois grandes exemplos a serem seguidos pelos servos de Deus:
Estarmos disponíveis para Deus.
A Bíblia não relata o que Maria estava fazendo com o anjo Gabriel a visitou, mas ela estava disposta a fazer o que o Senhor a determinasse.

Confiarmos em Deus.
Assim que recebeu a notícia a jovem se espantou, mas confiou nas palavras do anjo e na Palavra de Deus.
 
Boa ideia
Confeccionado um anjo de tubo de papelão.
Você vai precisar de cartolina branca, tubos de papelão, cola branca,tesoura, algodão e canetas hidrográficas.
 
1º Passo: Desenhe e recorte asas na cartolina.
2º Passo: Solicite às crianças que encapem o tubo de papelão com papel ofício.
3º Passo: Solicite que as crianças colem algodão nas asas e fixe-as no tubo.
4º Passo: Peça às crianças que desenhem um rostinho alegre no anjo.






εїз *Lição 04 - O bebê Jesus é levado ao templo - Conteúdo adicional para as aulas de Jardim da Infância* εїз

Lição 04 - O bebê Jesus é levado ao templo
Texto Bíblico: Lucas 2.21-38


I - De professor para professor
Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é que a criança saiba como o bebê Jesus eles também foram apresentados a Deus.
· A palavra-chave deste domingo é “Apresentação”. No decorrer da aula diga: “Jesus foi apresentado no Templo”.

II Saiba Mais
Quando chega aos seis anos, a criança já adquiriu a consciência de seu eu. Ela é o centro do seu próprio universo, dá grande importância ao seu nome, e gosta de escrever seu nome em todas as coisas que faz. Interessa-se por sua infância, por histórias acerca dela própria, por tudo o que lhe diz respeito. Até porque se imagina como tendo vivido sempre no passado, e devendo viver para sempre no futuro.
Texto extraído do livro: Amor e Disciplina para Criar Filhos Felizes, CPAD


III- Conversando com o Professor
Servir a Deus, às vezes, é como ficar parado em um sinal de trânsito que parece estar enguiçado no vermelho. Embora você saiba aonde quer ir e quando deseja chegar lá, enquanto o sinal permanece vermelho, você tem de ficar parado e esperar... esperar... e esperar um pouco mais.
Algumas vezes, a coisa mais difícil que Deus irá pedir-lhe é que você fique parado naquele sinal vermelho e espere nEle. Visto que o cronograma de Deus nem sempre será igual ao seu, você pode ter de alterar certas expectativas em sua vida e esperar que Deus revele o seu propósito. Quem sabe permanecer um pouco mais naquele emprego que não parece tão ideal, ou romper relacionamentos até que Deus traga a pessoa certa para a sua vida. Esperar irá exigir que você confie no plano de Deus e creia que Ele está trabalhando de modo ativo em sua vida. Descanse em sua graça e olhe para o futuro com esperança, sabendo que Ele o abençoará pela sua obediência a Ele.
Texto extraído da: Revista dos Primários 5/6, CPAD
Simeão e Ana esperaram e confiaram na promessa de Deus de que eles veriam o Salvador. Eles foram fiéis a Deus e puderam na velhice ver se cumprir a promessa, eles tiveram a alegria de ter nos braços o Salvador da humanidade.

IV- Sugestão
Você vai precisar de tubos de papelão, cartolina branca, papel crepom branco, cola branca, tesoura, canetas hidrográficas e lástex.
Na cartolina branca desenhe um par de asas. Entregue os tubos de papelão para as crianças, e peça para elas encaparem com o crepom branco e desenharem os olhinhos da pomba (no inicio do tubo).
Cole as asas da pombinha no tubo. Depois com o auxílio da agulha, perfure o tubo de papelão e as asinhas para passar o lástex.
Ao fazer o movimento do ioiô com o lástex, as crianças terão a sensação de que a pombinha está batendo asas.


εїз *Lição 04 - É melhor obedecer - Conteúdo adicional para as aulas de Maternal* εїз

Lição 04 - É melhor obedecer
Texto Bíblico: Jonas 1.1-17;2.1-10

I - De professor para professor
• Prezado professor, neste domingo as crianças terão a oportunidade de aprender que devem obedecer ao Papai do céu.
• Faça uma recapitulação da aula anterior. Pergunte qual foi a palavra-chave estudada e qual o versículo aprendido.
• A palavra-chave da aula é “Obedecer”. Então, durante o decorrer da aula repita a frase: “Devemos obedecer a Palavra de Deus.”



II - Para refletir
Jonas não queria que o povo de Nínive se voltasse para Deus. Se eles o fizessem, ele sabia que Deus o perdoaria. Jonas não queria que fossem perdoados; ele queria que sofressem.
No final, Jonas acabou pregando, como Deus havia mandado. Os moradores de Nínive realmente se arrependeram, e Deus os perdoou. Eles foram salvos do julgamento, e Jonas reclamou: “Foi isso mesmo que eu pensei que o Senhor ia fazer”.
Jonas sentia que os ninivitas mereciam ser destruídos. Por que ele deveria ajudá-los? Por que deveríamos ajudar pessoas de quem não gostamos?
A resposta é simples: Deus não deseja punir pessoas pecadoras. Ele prefere mudá-las. Era isto que Ele queria para o povo de Nínive. É isto o que Ele quer para todo mundo.
Disponha-se a ajudar pessoas de quem você não gosta. Jesus ordenou; “Amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês, que está no céu. Porque Ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá chuvas tanto para os que fazem bem como para os que fazem o mal” (Mt 5.44,45).

III - Regras Práticas para os Professores
Nessa faixa etária a criança passa a ter um personalidade particular e constante, com uma perspectiva própria, situando os outros em relação a si mesma. A criança tem necessidade de ser aplaudida e reconhecida pelo que faz, como se estivesse numa fase narcisística. Contudo, paralelamente, as pessoas são importantes para ela e gosta de criar amizades, pois a sua acrescida capacidade de linguagem permite-Lhe apreciar a conversa e reagir bem as sugestões verbais.

IV – Sugestão
O “Grande-peixe”
Você vai precisar de garrafas pet, boneco de plástico, olhinhos de cartolina, apara de lápis de cor, cola de contato, tesoura e barbante.
Passo a passo:
1º Recorte a garra pet ao meio (vamos utilizar a parte do gargalo, aquela que parece um funil).
2º Cole os olhinhos na parte mais larga do “funil” e em volta da garrafa as aparas de lápis formando “escamas”.
3º Amarre o barbante na cintura do boneco.
4º Faça um furo na tampa da garrafa e passe o barbante por ele e dê um nó na ponta. Depois feche a garrafa.
Ao puxar o barbante o boneco e engolido pelo “peixe”.
Obs. Você poderá confeccionar apenas um e utilizar para contar a história.

Lição 03 - A Glória do Ministério Cristão ~> Conteúdo Adicional para as aulas de Lições Bíblicas Jovens e Adultos

Lição 03 - A Glória do Ministério Cristão


Leitura Bíblica em Classe: 2 Coríntios 1.12-14,21,22;2.4,14-17


O ministério apostólico
Paulo pode pedir ajuda dos coríntios em oração porque, contrariamente à acusação dos seus adversários, a sua vida tem sido pura e os seus objetivos transparentes entre eles. Esta afirmação de integridade também prepara o caminho para uma defesa adicional da sua conduta.
A glória de Paulo, baseada no testemunho dado pela sua consciência, é que ele não tem vivido, como os seus adversários, na dimensão de “uma sabedoria carnal, ou dominada por motivos humanos” (1 Co 1.20; 2.6;3.1-3). Em lugar disso, tem vivido na graça de Deus com “santidade e santidade de Deus”. Ambas são qualidades divinas que, como dádivas de Deus, são capazes de caracterizar o comportamento de Paulo. “Simplicidade”, ou santidade, ressalta a “pureza moral” do comportamento exterior de Paulo, e sinceridade, a transparência (1 Co 5.8) dos seus motivos interiores.
Esta sinceridade se estende também às suas cartas, pois o que eles já sabem dele é coerente com o que eles reconhecem que ele é. Não há um segundo sentido. Paulo espera que eles “compreendam completamente”, da mesma maneira como eles reconheceram já em parte. O apóstolo deseja que eles possam ser capazes de se gloriar dele, assim como Paulo se gloriará deles (1 Ts 2.19). O tema principal de Paulo, em vista das críticas, é que o conhecimento deles possa ser tal que possam se gloriar dele tanto quanto ele se gloria deles, no dia em que todos os segredos forem revelados.
Paulo foi selado pelo Espírito de Cristo (Rm 8.9), que deixa gravada a sua própria imagem (Rm 8.29; Cl 1.15) na personalidade humana. Este selo do Espírito Santo garante a autenticidade do seu relacionamento com Deus (Ef 1.13; 2 Tm 2.19; Ap 9.4; Rm 4.11; 1 Rs 21.8) e preserva-o neste relacionamento (Ef 4.30; Dn 6.17). O selo é a marca de identificação e de segurança (Ed 9.4; Et 3.12; Jr 32.10-14).
Os triunfos do crente são todos em Cristo. A Ele seja o louvor e a glória por todos, enquanto o êxito do Evangelho é uma boa razão para o gozo e o júbilo cristão. Por ocasião dos triunfos antigos, usavam-se muitos perfumes e odores agradáveis. Desta maneira, o nome e a salvação de Jesus, como unguento derramado, era um odor agradável, difundido em todos os lugares. Para alguns o evangelho é cheiro de morte para a morte. Estes o rejeitam para a sua própria ruína. Para outros, o Evangelho é um cheiro de vida para a vida: como os vivificou ao princípio, quando estavam mortos em delitos e pecados, assim lhes dá mais vida e leva-os à vida eterna.
Observe as impressões surpreendentes que este assunto causou ao apóstolo e que deveria causar também a cada um de nós. A obra é grande, e não temos forças alguma em nós mesmos; toda a nossa suficiência vem de Deus. Porém, o que fazemos na religião, a menos que seja feito com sinceridade, como diante de Deus; não é de Deus, não vem dEle e não chegará a Ele. Vigiemos cuidadosamente neste aspecto; e busquemos o testemunho de nossa consciência, submetidos ao ensino do Espírito Santo para falar em Cristo e de Cristo com sinceridade.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!

Lição 03 - Ciência na mente, Bíblia no coração ~> Conteúdo adicional para as aulas de Juvenis

Lição 03 - Ciência na mente, Bíblia no coração
Texto Bíblico: Salmos 119.9,11,97,105,130

 
Ao cantar as belezas da Palavra de Deus, o salmista confessa ternamente: ”Escondi a tua Palavra no meu coração, para não pecar contra ti” (Sl 119.11). Os leitores periféricos da Bíblia leem-na, mas dela logo se esquecem. Diferentemente do suave cantor de Israel; mesmo fechando-a, abria-a em seu coração.
Guardar a Bíblia no coração implica numa prática constante e persistente de seus ensinamentos. Thomas Watson assegura mui firmemente: “Os praticantes da Palavra são os melhores ouvintes”. Como é lamentável o viver daqueles que, embora conheçam intelectualmente a Bíblia, não a veem de forma devocional. Não a guardam no coração, pois este se acha inflado com os cuidados desta vida.
A Palavra de Deus é um tesouro digno de ser guardado, e não há onde guardá-lo com segurança se não for em nossos corações, para que possamos colocar os preceitos de Deus em oposição ao domínio do pecado, as promessas de Deus em oposição à sedução do pecado, e as suas ameaças em oposição à violência do pecado.
Que a nossa oração seja para Ele nos ensinar os seus estatutos, a fim de que, participando de sua santidade, possamos igualmente ser integrantes de sua bem-aventurança. E os que alimentam o seu coração com o Pão da Vida devem alimentar a muitos com as palavras de seus lábios.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!

Lição 03 - Evite as más companhias ~> Conteúdo adicional para as aulas de Adolescentes

Lição 03 - Evite as más companhias
Texto bíblico: Provérbios 1.10-16; 4.14-27



Professor, procure levar alguns exemplos para a classe, de pessoas que foram influenciadas negativamente e positivamente.
Explique aos alunos que às pessoas más exercem zelo para seduzirem as demais, a fim de levá-las às sendas do destruidor, e os pecadores amam a companhia para pecar. Porém, terão muito pelo que responder. Quão cautelosos devem ser os jovens! Não consintamos nem falemos como os ímpios falam, nem ajamos como eles agem, nem tenhamos comunhão com eles.
O caminho dos homens maus parece agradável e o mais próximo para conseguir alguma finalidade; porém, é um caminho mau e terminará mal; se amas o teu Deus e a tua alma, evita-o. Não foi dito: mantenha a distância devida, mas: mantenha uma grande distância; nunca penses que podes chegar suficientemente longe disto. O caminho do justo é luz. Cristo é o seu caminho e Ele é a luz. Os santos não serão perfeitos até que cheguem ao céu, mas ali brilharão como sol em sua força.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!

Lição 03 - Eles e Elas ~> Conteúdo adicional para as aulas de Pré-Adolescentes

Lição 03 - Eles e Elas
Texto Bíblico: Gênesis 1.26-28; Salmos 119.72-74



Professor, assegure aos adolescentes que as mudanças ocorridas em seus corpos e a diferenças no desenvolvimento físico entre membros da turma são normais. Estão passando por um processo que ainda não terminou. Vão crescer e parar de crescer; apenas precisam dar tempo aos seus corpos. Há esperança!
Considerando que meninos e meninas não amadurecem ao mesmo tempo, pode ser vantajoso para você separar as classes da Escola Dominical por sexo. Ambos se sentirão mais à vontade. Como os garotos não sabem se sua voz soará normal ou aguda como a de uma garota, podem se sentir tímidos para falar durante a aula se as meninas estiverem na mesma classe. Os professores obtêm uma colaboração maior de seus alunos, tanto meninos quanto meninas, quando as classes são separadas.
Em reuniões sociais, prefira as brincadeiras em grupo, que não requeiram habilidades físicas, às individuais, que chamem a atenção para o modo desajeitado do adolescente.
A inibição é vista com maior clareza e com frequência nas relações menino-menina. As garotas estão começando a se interessar pelos garotos, mas não falam abertamente sobre isso, principalmente com eles. A maioria dos meninos, contudo, está um ano ou dois atrás das meninas em termos de interesse, uma vez que a sua maturidade física começa mais tarde.
Bibliografia: JOHNSON, Lin. Como Ensinar Adolescentes: descubra a alegria de trabalhar com eles, pp. 12,13, 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD,2003.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!

19 de jan de 2010

Lição 03 - Jesus ensina sobre a humildade ~> Conteúdo adicional para as aulas de Juniores

Lição 03 - Jesus ensina sobre a humildade
Texto Bíblico: Mateus 18.1-5


Cristo falou muitas palavras sobre os seus sofrimentos, e somente uma sobre a sua glória; todavia, os discípulos se firmaram nesta e esqueceram-se das outras. Muitos dos que gostam de ouvir falar de privilégios e glória estão dispostos a desviar-se dos pensamentos acerca de trabalhos e problemas. Nosso Senhor colocou diante deles uma criancinha, assegurando-lhes solenemente que não poderiam entrar no seu reino se não fossem convertidos e se tornassem como os pequeninos. Quando as crianças são muito pequenas, não desejam autoridade, nem consideram as distinções exteriores, estão livres da maldade, são aprendizes e estão dispostas a confiar nos seus pais. É verdade que assim que começam a mostrar outras disposições e chega a juventude, lhes são ensinadas outras ideias, mas são as características da infância que as convertem em exemplos adequados de mente humilde e de cristãos verdadeiros. Certamente necessitamos ser renovados sempre no espírito de nossa mente, para que cheguemos a ser simples e humildes como os pequeninos, e dispostos a sermos o menor de todos. Estudemos diariamente este tema e examinemos o nosso espírito.
Texto extraído do: Comentário Bíblico de Matthew Henry, CPAD



Boa idéia!
Relembrando os trimestres anteriores.
Você vai precisar de papel pardo, fita adesiva e canetinhas hidrográficas.
Divida a folha de papel pardo em duas partes.
Na primeira folha escreva: “Pessoas humildes” e na segunda, “Pessoas soberbas”.
Fixe as folhas na parede da classe ou em quadros.
Distribua para as crianças as canetinhas e peça a eles que escrevam os nomes de personagens bíblicos já estudados que tenham sido humildes ou soberbos.
Obs. Professor não esqueça de explicar o que significa soberba.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!

Lição 03 - O Salvador vem aí! ~> Conteúdo adicional para as aulas de Primários.

Lição 03 - O Salvador vem aí!
Texto Bíblico: Lucas 1.5-25; 57-66; 3.1-16



João Batista era um profeta. Deus lhe dera a importante tarefa de preparar o caminho para Jesus.
Como diversos profetas do Antigo Testamento, João Batista foi para o deserto a fim de poder concentrar-se em Deus e ouvir claramente as suas instruções.
João pregava longe de onde as pessoas moravam, para que pudesse ter sua total atenção quando elas vinham para ouvir suas mensagens. E vivendo no deserto, João demonstrava que o relacionamento de uma pessoa com Deus é muito mais importante que ter uma vida bela e confortável na terra.
Deixe a vida de João Batista recorda-lhe que você deve ser sério em seu relacionamento com Deus.
Texto extraído da: Bíblia do Adolescente Aplicação Pessoal, CPAD


Boa ideia!

Montando uma corneta!
Você vai precisar de cartolina, canetinhas hidrográficas, purpurina e cola colorida.
Na cartolina desenhe e recorte vários cones (uma para cada criança). Distribua o restante do material (cola colorida, purpurina, canetinhas) e peça às crianças para enfeitarem o cone. Depois unas a laterais formando uma corneta.
Comente com as crianças que elas devem anunciar o nascimento de Jesus a todas as pessoas.

* Devido ao Congresso da USADEC (na minha igreja) não houve EBD... Por isso houve um pequeno atraso nas postagens da Lição 03!! Mas, tá aí.... FICA COM DEUS!!!