14 de mar de 2010

Lição 11 - Jesus ensina sobre o sal e a luz do mundo ઇઉ Conteúdo adicional para as aulas de Juniores

Jesus ensina sobre o sal e a luz do mundo
Texto Bíblico: Mateus 5.13-16

“Relevantes em todo lugar”
À luz desses dois ricos símbolos empregados por Jesus entendemos que a relevância cristã tem de se fazer notar em todos os segmentos da sociedade. O sal colocado dentro de uma panela introduz os seus valores nutricionais, além do sabor, em todos os grãos em processo de cozimento. A luz tem o poder de afastar as trevas e aclarar todo o ambiente iluminado. Ambos podem ser encontrados e percebidos desde as mais simples choupanas aos mais esplendorosos palácios, desde uma extremidade a outra, porque são indispensáveis à vida. O princípio aqui aduzido pressupõe que não há como secionar a vida cristã em compartimentos estanques, onde se possa manter um estilo de comportamento distinto para o sagrado e outro para o secular. É óbvio que o texto não está propondo a universalidade da salvação, nem que os súditos do Reino vivam ou imponham esse conceito, na presente era, como o objetivo de sua fé. Deus quer que todos se arrependam, mas nem todos serão salvos — a Bíblia é clara — não havendo necessidade de considerações teológicas alongadas sobre o tema. O que está em questão é o compromisso de viver a fé cristã de tal maneira que ela seja o referencial em todas as áreas da vida e determine os princípios que orientarão quaisquer decisões no âmbito sagrado ou secular. Não tenho preconceito contra a classe política, mas pela transparência do cargo aí está um bom exemplo para ilustrar o conceito. Se você, como cristão, exerce um mandato eletivo, não lhe fica bem afirmar que na Assembleia Legislativa, se for este o caso, não é cristão e sim deputado, como se uma coisa não tivesse nada a ver com a outra. Convém lembrar que não há essa dicotomia diante de Deus. Não importa a profissão secular que o crente exerça: político, advogado, engenheiro, médico, policial, mecânico, pedreiro; em qualquer situação, os princípios de vida que valem para o sagrado aplicam-se também ao dia-a-dia de cada um. Isto requer dos salvos uma presença ativa e marcante que faça diferença no mundo. Esta é uma palavra-chave atualmente um pouco esquecida no vocabulário cristão. Mas é preciso resgatá-la. Não se trata de adotar uma postura legalista e de exterioridade, mas vivenciar a fé cristã em todas as suas dimensões mediante a comunhão com Cristo. Onde há sal e luz percebe-se de forma clara a sua presença distintiva.”
Extraído do livro: COUTO, Geremias. A transparência da vida cristã. CPAD. pp.47-48

Boa ideia
Entregue uma folha de papel para cada aluno, lápis e borracha e explique-lhes que farão um teste para saber se estão sendo sal e luz no mundo. Escreva no quadro-de-giz algumas situações hipotéticas. Por exemplo:
a) Eu evito falar com uma criança que não seja popular;
b) Eu assisto o programa de televisão “x” porque meus amigos assistem;
c) Eu gosto de brincar da brincadeira “y” porque todo mundo brinca;
d) Tem coisas que eu só faço porque senão ninguém vai gostar de mim. Os alunos devem responder nas suas folhas “verdadeiro” ou “falso”, mas não precisam mostrar suas respostas para ninguém.
Se a maioria das respostas for verdadeira, eles podem estar sofrendo grande influência dos amigos. Enfatize ao final que, como luz e sal, eles é que devem influenciar os amigos e não o contrário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário