14 de mar de 2010

Lição 11 - O Império contra-ataca ઇઉ Conteúdo adicional para as aulas de Juvenis

O Império contra-ataca
Texto Bíblico: Daniel 2.31-44

“...ouro...prata...cobre”. Quase todos os intérpretes do livro de Daniel seguem a mesma linha de pensamento diante dos versículos trinta e dois a trinta e cinco:
1) A cabeça do colosso representava o Império Babilônico. Esta interpretação é tanto teológica como bíblica, como se pode depreender do versículo 38 do presente capítulo.
2) O peito e os braços de prata representavam o Império Medo-Pérsia, com Dario e Ciro, respectivamente. A propriedade de uma imagem de um homem representar estes dois impérios é evidente.
O Império duplo da Média- Pérsia é representado pelos dois braços, e a sua unidade pelo peito do colosso. Em figura geral: os dois braços são Dario e Ciro. Geograficamente falando, Dario é o braço esquerdo da imagem, enquanto que Ciro é o direito. Esses dois monarcas são chamados também, na simbologia profética, de “Os tufões de vento do Sul (Sul de Babilônia), que tudo assolam” (Is 21.1). 3) O ventre e as coxas representavam o Império Greco-macedônio.

2.33: “As pernas de ferro; os seus pés em parte de ferro e em parte de barro.”
O presente versículo descreve a quarta e a quinta parte da composição da terrível estátua. É evidente que as pernas de ferro são o Império Romano, que começou com uma unidade, mas depois foi dividido; é representado pela parte inferior do corpo, dividindo-se nas duas pernas. Estas correspondências encontram-se outra vez nas outras visões deste livro. Este império de ferro teve um princípio de unidade, mas mesmo assim, essa foi fundada dentro dum paralelismo (as duas pernas).
Roma:
1) Fundada por dois irmãos: Rômulo e Rêmulo; depois Rômulo se desentendeu com Rêmulo e o matou em combate.
2) Governada por monarquia e república. (Mais tarde:)
3) Divisão do império em dois: o do Ocidente e o do Oriente. Condição atual: Socialismo x Capitalismo. Comunismo x Religião. Portanto, como bem pode ser depreendido dos textos divinos, o ferro seguirá misturado com o barro até o fim da presente Era (Ap cap 17).

2.34: “Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barros, e os esmiuçou.”
“...feriu a estátua nos pés...” O texto em foco merece toda a nossa especial atenção. Ele mostra como as Escrituras são proféticas e se combinam entre si em cada detalhe. A pedra (Cristo), cortada do monte, haveria de ferir a estátua, não na cabeça (Império Babilônico); nem no peito e braços (Império da Medo-Pérsia); nem no ventre e coxas (Império Greco-macedônio) nem nas pernas (Império Romano daqueles dias); mas cairá sobre os “pés” do colosso (fragmentos do Império Romano restaurado: os dez reis escatológicos). Isso ocorrerá no vale de Armagedom. Isso acontecerá em virtude das predições contemporâneas preditas pelos apóstolos e pelo próprio Senhor (Mt 24.30); elas indicam que no retorno de Cristo à Terra, com poder e grande glória, Jesus será visto fisicamente na Palestina, quando forças confederadas do Anticristo tiverem conquistado a Terra Santa, ameaçando aniquilar o povo judeu. Devemos observar que, quando o Filho de Deus veio a este mundo (durante o Império das pernas de ferro), Roma, não sentiu nada, não sentiu qualquer choque, nem começou a enfraquecer. Ao contrário, sob esse império de ferro foi morto nosso Salvador. Portanto, é evidente que a pedra cairá “nos pés” da estátua, numa era ainda futura.

2.35: [...]
O presente versículo descreve aquilo que acontecerá na vinda de Cristo a este mundo com poder e grande glória. Isso se encontra narrado em vários de seus elementos doutrinários.
A pedra que esmiuçou a grande estátua pode ser representada num sentido tríplice:
1) Cristo – sentido lato.
2) A Igreja.
3) O Reino de Deus. (Ver Is 2.2; Mt 16.18; 1 Pe 2.5.)
O choque da grande pedra cortada da montanha terá lugar no vale do Armagedom, naquele grande dia do Deus Todo-Poderoso, e evidentemente, no tempo dos dez dedos da imagem. Jesus deixou muito claro este assunto em Mateus 21.44.”
Extraído do livro: SILVA, Severino Pedro da. Daniel versículo por versículo. CPAD. pp.42-44

Nenhum comentário:

Postar um comentário